Governo Federal vai manter o horário de verão em 2017

por Daniel Salgado publicado 06/10/2017 14h34, última modificação 06/10/2017 14h34
Saiba como acertar os seus relógios na madrugada de sábado para domingo.

Unaí, 26 de setembro de 2017

 

Tem início na noite de sábado (14 outubro 2017) para domingo (15 outubro 2017) o horário de verão 2017/2018. Quando o relógio marcar 00:00, ele deverá ser adiantado para 01:00 (ou seja, uma hora a menos de sono). É importante lembrar que computadores e smartphones podem estar habilitados para “ajuste de data e hora automáticos”, por isto você deve conferir as configurações do seu aparelho antes de acertar o relógio. A medida vale para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil

Recentes estudos realizados pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) indicaram que a adesão ao horário de verão não representa mais tanta economia quanto nos anos anteriores. Mesmo assim, o Governo Federal optou por implementar a medida em 2017. Para 2018, no entanto, o horário de verão ainda está sob análise.

Histórico:

Foi Benjamim Franklin, político e inventor americano que em 1784 apresentou a ideia de adiantar a hora oficial em períodos de verão. O primeiro país a adotar este sistema foi a Alemanha, em 1916, com o objetivo de economizar os gastos com carvão durante a Primeira Guerra Mundial.

O horário de Verão chegou ao Brasil em 1931, e foi implantado pelo presidente Getúlio Vargas. O decreto 6.558 de 2008, definiu as datas de início e fim do horário de verão, que sempre começa no terceiro domingo de outubro e termina no terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte, durando assim, 4 meses.

FONTES:

 http://www.horariodebrasilia.org/verao/

https://www.calendario-365.com.br/horario-de-verao-horario-de-inverno.html

http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-09/horario-de-verao-pode-se-extinto-este-ano-governo-quer-ouvir-sociedade

 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.